Nutricionista Andréia Carrara - Nutrição Clínica e Nutrição Esportiva - Nutricionista

Queria emagrecer mas engravidei, e agora? Nutricionista Andréia Carrara


Então, você já estava acima do peso, tentando mil dietas para emagrecer, mas com aquela indisposição, menstruação atrasada e, de repente, PAH ...descobre que está grávida!

- E agora? - Você se pergunta – O que vou fazer? Vou engordar mais ainda?

Fique calma!

Antes de tudo, preciso te parabenizar. Na minha opinião você está vivenciando a melhor experiência que uma mulher pode ter na vida: SER MÃE.

Agora, pense que esta é uma ótima oportunidade para corrigir tudo que está errado na sua rotina alimentar. A gestação pode ser o grande motivo que fará você tratar o sobrepeso ou a obesidade definitivamente.

Entenda a diferença entre as gestantes com peso normal e acima do peso:

Quando a gestante está eutrófica (com peso normal), até o fim da gestação, espera-se um aumento de até 12 kg. A partir do segundo trimestre, a sua dieta recebe um acréscimo de 300 kcalorias/dia para atender às necessidades de desenvolvimento fetal.

Mas, quando a futura mamãe já tem um excesso de peso, ela deve aumentar no máximo 7 kg. Por isso, não há acréscimo calórico. São utilizadas as reservas energéticas da própria mamãe para atender esta necessidade do bebê.

Queria emagrecer e engravidei nutricionista clínica e esportiva

Gravidez não é doença. Mas a obesidade instalada antes da gravidez pode gerar doenças que, se não tratadas, podem prejudicar a gestação, o feto e a mamãe por toda a vida. Diabetes é uma dessas doenças.

Na diabetes gestacional a glicemia se torna anormal, mas geralmente retorna à normalidade depois que o bebê nasce. Mas, infelizmente, em 30 % dos casos, a diabetes torna-se permanente para a mamãe. Essa condição bem controlada não causa grandes transtornos na gestação.

Outra doença que pode surgir é a hipertensão que, por sua vez, pode gerar a pré-eclâmpsia, caracterizada não só pelo aumento da pressão arterial, mas pela perda de proteína pela urina e por retenção de líquido (edema). A pré-eclâmpsia gera um edema grave, do corpo todo, diferente do inchaço localizado nos pés e tornozelos das mulheres em condições normais do final da gravidez. Afeta quase todos os órgãos da mãe (sistema circulatório, fígado, rins e cérebro). A progressão desta situação pode levar a mãe a convulsionar, é a chamada eclâmpsia. Então, o controle pressórico é primordial nesta situação.

Para prevenir tudo isso, o pré-natal desde a descoberta da gravidez é fundamental. Desta forma, é possível prevenir partos prematuros e bebês nascidos acima do peso e com complicações decorrentes da obesidade materna.

A atividade física também é outro hábito que deve ser incorporado. Mas cuidado, se você é sedentária o momento da gravidez não é o melhor para virar uma “atleta” de alto rendimento! É importante fazer uma atividade leve, liberada após avaliação médica, e orientada pelo professor de educação física.


Queria emagrecer e engravidei

O primeiro trimestre, devido às alterações hormonais, é uma fase em que a mamãe tem muitas náuseas, enjôos, podendo até ter episódios de vômito. Por isso, não há aumento significativo do peso. Muitas gestantes obesas chegam até a perder peso nessa fase.

A partir do segundo trimestre, esses sintomas diminuem ou desaparecem, e a mamãe volta a ter apetite. E é aí onde mora o perigo, porque parte de tudo que ela consome será transferido para o bebê através da placenta; tanto os alimentos saudáveis quanto os alimentos ricos em calorias vazias.

Além da necessidade calórica, muitos nutrientes precisam ser consumidos com mais atenção como as proteínas, vitaminas A, do complexo B, C, K e minerais, como: cálcio, fósforo, magnésio e iodo. Basicamente, é importante o consumo de carnes magras, ovos, laticínios magros, cereais, grãos, frutas, legumes e verduras.

Veja a lista com os 10 grupos de alimentos que prejudicam a gestação saudável:


  1. Refrigerantes,
  2. Frituras,
  3. Doces, chocolates, sorvetes,
  4. Embutidos, Bacon,
  5. Carnes gordurosas,
  6. Creme de leite, maionese,
  7. Catchup, mostarda e outros molhos condimentados,
  8. Café, chá mate, chá verde,
  9. Salgadinhos,
  10. Bebidas alcoólicas.


Mantendo esta restrição, você consegue ter uma gestação tranqüila, gerar um bebê saudável e alcançar o peso ideal após o parto.

Tive a oportunidade de acompanhar a gestação de algumas pacientes obesas e observei comportamentos diversos. Todas as pacientes que seguiram as orientações nutricionais tiveram uma gestação normal sem complicações e seguiram o processo de emagrecimento após o parto.

Após o parto, a próxima etapa é a amamentação. Este momento também exige cuidados e oferece muitos benefícios para a mamãe e para o bebê.

 

«InícioAnterior123PróximoFim»
Página 1 de 3